QUERO DOAR R$ 20,00

quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014

// // Leave a Comment

Diferenças no direito e na renda entre auxílio-doença e salário-maternidade.

salário-maternidade, auxílio-doença, renda mensal, direito

Neste artigo vamos tratar das diferenças no direito para ter concedido os benefícios de auxílio-doença e salário-maternidade e quanto ao cálculo da renda mensal inicial.

Quando uma segurada da Previdência Social precisa recorrer ao benefício de auxílio-doença por incapacidade ao trabalho causada por complicações na gravidez percebe uma diferença na renda mensal inicial quando a criança nasce e passa a receber o benefício de salário-maternidade.

As regras de concessão dos benefícios de auxílio-doença e salário-maternidade são muito diferentes, por isso, pode ocorrer de uma segurada grávida não ter direito ao auxílio-doença e ter direito ao salário-maternidade. A fórmula usada no cálculo da renda mensal inicial desses benefícios também é diferente.

Diferenças quanto ao direito no INSS:

- o auxílio-doença exige uma carência de 12 meses de contribuição, completas antes do início da incapacidade, e é preciso que o segurado tenha qualidade de segurado. Os desempregados têm direito desde que tenham cumprido a carência, antes de terem saído do emprego, e tenha mantido a qualidade de segurado. Para recuperar a qualidade de segurado é preciso que o contribuinte tenha recolhido um mínimo de 4 mensalidades, sem atraso e feitas antes de ter ficado doente. Acidentes de trabalho ou de qualquer natureza não exigem carência, somente qualidade. Saiba o que é qualidade de segurado neste artigo: A Qualidade e a Carência na Previdência Social

- o salário-maternidade exige carência de 10 meses de contribuição, no caso dos contribuintes individuais e facultativos, e que a segurada tenha mantido sua qualidade de segurado. As empregadas e empregadas domésticas não precisam de carência, basta estarem regularmente registradas. As desempregadas ou que deixaram de contribuir têm direito desde que tenham mantido a qualidade de segurado. Para recuperar a qualidade é preciso que as contribuintes, de qualquer condição, paguem, no mínimo, 3 competências mensais, sem atraso e antes da criança nascer. Por exemplo: se a criança nascer em janeiro terá que ter quitado os meses dezembro, novembro e outubro, ou meses anteriores dentro do período máximo de 12 meses, sem atraso. 

Diferença quanto ao cálculo da renda mensal:

- o auxílio-doença tem a renda calculada pela média das contribuições feitas desde 07/1994, ou desde que iniciou a contribuir, e dessa média é pago 91%. No momento de determinar a renda mensal inicial é feito o cálculo, também, da média das 12 últimas contribuições e é pago a que apresentar o menor valor. Exemplo: Se a média de todas as contribuições resultou em R$ 1.500,00 e a média das 12 últimas contribuições resultou no valor de R$ 1.200,00 é este valor que será pago, se resultar em valor maior que os R$ 1.500,00 este valor será utilizado, ou seja, sempre o de menor valor. Sobre a renda do auxílio-doença veja este artigo: Como o INSS calcula a renda mensal do Auxílio-doença.

- o salário-maternidade tem a renda mensal inicial calculada da seguinte maneira:

1 - Contribuintes individuais, facultativas e no período de graça: pela média das 12 últimas contribuições, encontradas nos últimos 15 meses anteriores ao parto. Se não houver contribuições nesse período é pago o valor do salário-mínimo.

2 - No caso das empregadas e empregadas domésticas a renda é igual ao salário mensal recebido. No caso das empregadas em empresas o pagamento é feito normalmente como nos meses em que não estava em benefício, não há limitação ao teto. A empregada doméstica tem a licença maternidade paga por benefício concedido no INSS e, caso tenha renda mensal maior que o teto, terá sua renda mensal inicial igual ao valor teto previdenciário. Caso a empregada doméstica tenha renda menor que o valor do salário-mínimo tem o benefício concedido com renda mensal igual ao salário-mínimo.

3 - No caso das seguradas especiais, trabalhadoras rurais, a renda mensal inicial é igual ao salário-mínimo nacional.

Sobre a renda mensal do salário-maternidade veja este artigo: A renda do salário-maternidade da segurada no período de graça.

Observação: É importante salientar que a segurada empregada não tem nenhum benefício concedido, ou seja, entra em licença maternidade somente afastando-se do trabalho, pois segue recebendo seu salário nos mesmos dias e valores que recebia antes. Nas empresas de grande porte o demonstrativo de pagamento traz a expressão licença maternidade que substituiu todas as verbas que compõe o salário nos demais meses.

Caso tenha alguma dúvida faça sua pergunta que será respondida assim que for possível.

Fórum do Consultor. Pergunte sobre os benefícios do INSS
Portal do Conhecimento Previdenciário. Faça sua Doação

0 comentários: